sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Futebol no Estádio Rosenão
Neste domingo a partir da 16hs no Estádio Rosenão em Parauapebas, o jogo da semifinal do seletivo do campeonato Paraense 2015, Parauapebas e Gavião Kykategê,


Narração Roberto Guerrero, comentários Lindomar de Souza e Jorge Quadros, reportagens Nico Lima e Adevaldo Macêdo, sob Coordenação Artística Demerval Moreno e coordenação técnica Beto Oliveira.
Lembrando que Nico Lima e Lindomar de Souza são atuantes na imprensa de Araguaina.
Jorge Quadros Narrador esportivo de Paragominas,

Facebook.com
Roberto Guerrero, um dos mais experientes narradores esportivos do Brasil, e agora faz parte da equipe do Programa Conexão Carajás, da Liderança FM, onde é uma das estrelas do Time..

Prefeito Valmir Mariano reúne com representantes do corpo médico em seu Gabinete

Nesta quarta-feira, 26, o prefeito Valmir Mariano, acompanhado da procuradora geral do Município, Quésia Lustosa, da secretária de Planejamento, Flávia Cristina Queiroz, da presidente do Conselho Municipal de Saúde, Leonice de Oliveira, e do assessor de Comunicação, Walmor Costa, ouviu, em seu Gabinete, representantes do corpo clínico do Hospital Municipal Dr. Teófilo Soares de Almeida Filho.
Na reunião, foram tratados assuntos sobre regularização e normalização do estoque de medicamentos que compõem o quadro farmacológico do hospital, reestabelecimento dos convênios de saúde com hospitais particulares, como também a normalização no funcionamento do laboratório de análises bioquímicas.
O prefeito Valmir Mariano tomou conhecimento também das situações trabalhistas dos médicos que atuam no Pronto-Socorro do Hospital quanto à regularização dos pagamentos salariais referentes à Lei de Plantão que estabelece o teto de 240 horas mensais por médico.
Sobre a situação dos medicamentos, estes já chegaram ao Hospital, estão sendo separados por lotes e disponibilizados para o tratamento dos pacientes.
Quanto aos reparos nos equipamentos danificados pela queda de um raio, também já foram providenciados. Os aparelhos do Setor de Bioquímica e Hematologia foram consertados.
Com relação às demais questões apresentadas, o prefeito voltará a reunir-se com os médicos na busca por soluções.
Assessoria de Comunicação da PMP

domingo, 23 de novembro de 2014

Semana com muita chuva no Centro-Oeste e Sudeste

           
   
A frente fria que provocou chuva no fim de semana sobre o Sudeste se afasta na segunda-feira (24), mas um sistema de baixa pressão reforça as instabilidades sobre o Centro-Sul do Brasil nos próximos dias. A partir de quarta-feira (26), uma nova frente fria avança pelo oceano, mantendo o tempo instável sobre o Sudeste e Centro-Oeste.

O mapa abaixo mostra a previsão de precipitação sobre o Brasil até a sexta-feira (28).

© Fornecido por Climatempo

Os maiores acumulados estão concentrados sobre o Centro-Oeste e Sudeste do país, podendo passar dos 100 mm em áreas do interior do Rio de Janeiro, da zona da mata mineira, do sul de Minas, do Alto do Paranaíba, do Alto São Francisco, do Triângulo Mineiro, do norte de São Paulo, do sul de Goiás, do norte de Mato Grosso do Sul e do centro-sul de Mato Grosso.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Entenda a operação Lava Jato

Investigação apura esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
Grupo sob suspeita tem ligações com políticos e ex-dirigente da Petrobras.

Do G1, em Brasília FACEBOOK
Arte Operação Lava Jato 14/11/2014 (Foto: Editoria de Arte / G1)

O que é
Deflagrada em 17 de março pela Polícia Federal (PF), a operação Lava Jato desmontou um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que, segundo as autoridades policiais, movimentou cerca de R$ 10 bilhões. De acordo com a PF, as investigações identificaram um grupo brasileiro especializado no mercado clandestino de câmbio.
A Petrobras está no centro das investigações da operação, que apontou dirigentes da estatal envolvidos no pagamento de propina a políticos e executivos de empresas que firmaram contratos com a petroleira.
Entre os delitos cometidos por supostos "clientes" do esquema de movimentação ilegal de dinheiro estão tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos.
Onde
A Lava Jato expediu mandados de prisão e de busca e apreensão em Curitiba (PR) e outras 16 cidades paranaenses, só na primeira fase da operação, em março. Os agentes federais também cumpriram ordens judiciais em outras seis unidades da federação: São Paulo, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Mato Grosso. Na etapa de novembro da operação, houve mandados de prisão, busca e apreensão e ações coercitivas no Paraná, em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais, em Pernambuco e no Distrito Federal.
Presos
A operação Lava Jato já levou à prisão do doleiro Alberto Youssef, que foi apontado como chefe do esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Também foi preso, na etapa inicial da operação, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Ele é investigado devido à compra, pela estatal, da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), sob suspeita de superfaturamento.

Em novembro, quase oito meses a pós a deflagração da operação, mais de 20 pessoas foram presas, incluindo o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque. A maior parte dos presos nesta etapa da Lava Jato são executivos de empreiteiras que possuem contratos firmados com a Petrobras.

Na lista dos que já foram presos em outras etapas da operação também estão, por exemplo, pessoas que seriam subordinadas a Alberto Youssef, responsáveis por gerenciar o dinheiro do doleiro.
Petrobras
As investigações da PF revelaram uma suposta ligação entre o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa com o esquema de lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Yousseff. Costa admitiu à polícia que recebeu um carro de luxo avaliado em R$ 250 mil do doleiro, mas alegou que o veículo foi dado em pagamento por um serviço de consultoria. Costa disse que já estava aposentado da Petrobras à época do recebimento do carro. No entanto, ele reconheceu que conhecia Youssef do período em que ainda estava na estatal brasileira. Costa foi preso em 20 de março enquanto destruia documentos que podem servir como provas no inquérito.
Em outubro, ao prestar depoimentos à Justiça Federal, Costa revelou o esquema de pagamento de propina na Petrobras que, segundo ele, era cobrada de fornecedores da estatal e direcionada para atender a PT, PMDB e PP. Os recursos teriam sido usados na campanha eleitoral de 2010. Os partidos negam.  Segundo Costa, as diretorias comandadas pelos três partidos recolhiam propinas de 3% de todos os contratos.
Segundo o ex-diretor, a operação teve início em 2006, quando, segundo ele, se formou um cartel entre grandes empreiteiras para prestação de serviços à Petrobras e para  obras de infraestrutura, como a construção de hidrelétricas e aeroportos. Em outubro, Costa teve acordo de delação premiada homologado pela Justiça, o que pode contribuir para a redução de sua pena em caso de condenação.
O mesmo tipo de acordo está sendo negociado por Aberto Youssef, que tem prestado depoimentos à Justiça federal e dado informações sobre quem participava do esquema dentro de partidos.
Costa Global
Documentos obtidos pela PF apontam que Costa pode ter recebido depósitos milionários do doleiro na conta de uma de suas empresas, a Costa Global. Um dos papéis, uma planilha de valores, seria uma contabilidade manual da empresa do ex-dirigente da estatal do petróleo. A planilha detalha valores em reais, dólares e euros recebidos entre novembro de 2012 e março de 2013.

Reportagem veiculada no programa Fantástico, em 13 de abril, mostrou o conteúdo de uma das planilhas da Costa Global apreendidas pela PF. Os documentos mostram que o ex-diretor mantinha um controle detalhado de todas operações que ele intermediava entre a Petrobras, empreiteiras e fornecedores. Numa das planilhas obtidas pelo Fantástico, aparece ao lado do nome das empresas a porcentagem que o ex-diretor da Petrobras receberia caso conseguisse contratos para elas. Em muitos casos, a comissão é de 50%.
Deputados envolvidos com Youssef
A apuração da PF também trouxe à tona indícios de ligação entre Alberto Youssef e o deputado federal André Vargas (sem partido-PR). Conforme investigações da PF, os dois atuaram juntos para fechar um contrato milionário entre uma empresa de fachada e o Ministério da Saúde. Além disso, o parlamentar do Paraná reconheceu que, em janeiro, viajou para João Pessoa (PB) em um jatinho emprestado pelo doleiro.
Vargas alegou que conhece Youssef há mais de duas décadas e que não há irregularidades na sua relação com o doleiro preso pela operação Lava Jato. Pressionado pelo próprio partido em razão das denúncias, Vargas renunciou ao cargo de vice-presidente da Câmara e se desfiliou do PT. Ele também se tornou alvo de processo por quebra de decoro no Conselho de Ética da Câmara, queaprovou parecer que pede sua cassação. A perda do mandato de Vargas ainda precisa ser analisada pelo plenário da Câmara.
O deputado Luiz Argôlo (SD-BA) também se tornou alvo das investigações da PF devido à relação com Alberto Youssef. Foram analisadas 1.411 mensagens de celular entre os dois, de setembro do ano passado a março deste ano. Segundo a PF, a linha usada pertence à Câmara dos Deputados.
No relatório, a PF conclui: "os indícios apontam que o deputado tratava-se de um cliente dos serviços prestados por Youssef, por vezes repassando dinheiro de origem aparentemente ilícita, intermediando contatos em empresas, recebendo pagamentos, inclusive tendo suas atividades operacionais financiadas pelo doleiro".
Em outubro, o Conselho de Ética da Câmara aprovou parecer que pede a cassação do mandato de Argôlo por considerar ter havido “tráfico de influência, prática de negócios e pagamentos ilícitos”. O parlamentar nega as acuações. O relatório ainda precisa ser votado pelo plenário da Câmara.

Dunga explica intensidade de jogos e revela ter deixado livro para a CBF

Treinador explica programação de atividades, conta que entidade tem manual com o significado de cada treinamento e elogia qualidade do jogador brasileiro

Por Viena, Áustria
SAIBA MAIS
Era comum durante a Copa de 2014, o então técnico Luiz Felipe Scolari ouvir questionamentos sobre a quantidade de treinos aplicados durante o torneio. Após o torneio, Dunga assumiu o comando da seleção brasileira e a história é outra agora. Treinos intensos, diferentes dos exigidos nos últimos anos, e com uma carga muito grande de empenho e comprometimento dos atletas. Resultado disso pode ser visto mais uma vez nesta terça-feira, às 16h (de Brasília), em amistoso contra a Áustria, em Viena - a TV Globo, Sportv e GloboEsporte.com transmitem ao vivo, e o site também acompanha em Tempo Real.
- Sabíamos que teríamos que treinar como se o nosso time estivesse indo para um jogo. Colocamos ritmo, pressão, porque iríamos enfrentar adversários dispostos a vencer o Brasil de qualquer maneira.
Dunga, Treino da Seleção Brasileira (Foto: Heuler Andrey / Mowa Press)Dunga é rígido durante treinos da seleção brasileira (Foto: Heuler Andrey / Mowa Press)



Avesso a falar do próprio trabalho ou de buscar promoção, Dunga revelou que em sua primeira passagem pela Seleção deixou um livro para a CBF explicando o motivo de cada treino e qual significado das atividades.
- Em 2010, nós já fazíamos alguns desses treinos. Você vai aprimorando e observando o desempenho dos atletas. O brasileiro é inteligente e ele se adapta ao treino. Você precisa mudar a regra e colocar outra dinâmica. Em 2010, deixamos um livro e agora continuamos fazendo a mesma coisa. Queremos que os nossos jogadores estejam sempre pensando.
O treinamento mais curto comandado por Dunga desde que a seleção brasileira se apresentou no último dia 9 teve duração de 1h40. Foi na última segunda-feira, na primeira atividade comandada pelo treinador em Viena. Enquanto a maioria dos atletas realizou um treino técnico, o restante do grupo fez exercícios na sala de musculação e correu em torno do gramado.
- Observamos, conversamos, sentamos com o pessoal da preparação física. Qual é a intensidade do treino? Temos que diminuir a velocidade? Cada treino é analisado a cada dia. Além de termos uma programação extensa, nós temos que ter uma programação diária. Dependendo da resposta de cada jogador, você precisa mudar algo pelo desgaste. Mesmo o dois-toques, que é feito mais para soltar o atleta, a intensidade tem sido muito alta.
Em período de renovação do grupo da Seleção, Dunga elogiou a safra que tem em mãos para montar a equipe nacional.

- O Brasil sempre vai ter jogadores de grande qualidade. Tentamos colocar em prática um planejamento, uma organização e o que queríamos de cada um. A qualidade dos jogadores eu já conhecia. E quanto mais confiança eles tiverem, mais eles vão render em campo.

Executivo admite à PF ter pago propina na Petrobras, diz advogado

Diretor da Galvão Engenharia prestou depoimento à PF nesta segunda (17).
Erton Medeiros Fonseca alegou ter sido ameaçado por ex-deputado do PP.

Filipe MatosoDo G1, em Curitiba
O diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros Fonseca, um dos 23 presos na nova etapa da Operação Lava Jato, afirmou em depoimento à Polícia Federal nesta segunda-feira (17), em Curitiba, ter pago propina ao esquema de corrupção que atuava na Petrobras, informou ao G1 o advogado Pedro Henrique Xavier, responsável pela defesa do executivo.
Segundo relato do criminalista, seu cliente disse aos delegados federais que pagou o suborno sob ameaça do ex-deputado federal José Janene (PP-PR), morto em 2010. Xavier, no entanto, não detalhou para qual diretoria da petroleira a propina era paga.
Ainda de acordo com o advogado, Erton Fonseca afirmou à PF que José Janene, à época líder da bancada do PP, ameaçou que se ele não pagasse a propina, a Galvão Engenharia seria prejudicada em contratos que mantinha com a Petrobras. Janene chegou a ser um dos réus do processo do mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, mas não chegou a ser condenado porque morreu antes do julgamento.
Em nota enviada ao G1, a assessoria do Partido Progressista disse que o partido "não tem conhecimento oficial do teor dos depoimentos, mas está à disposição das autoridades para colaborar com as investigações."
Em depoimento à Justiça Federal do Paraná em outubro, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa revelou que o esquema de corrupção na estatal beneficiava as diretorias da empresa que eram comandadas por PT, PMDB e PP. Conforme o ex-dirigente, que fez acordo de delação premiada com a Justiça e está preso em casa no Rio de Janeiro, parte da propina paga a sua diretoria era repassada ao Partido Progressista.
O diretor da Galvão Engenharia, contou o criminalista, disse à Polícia Federal que aceita fazer uma acareação com Paulo Roberto Costa e com o doleiro Alberto Youssef, apontado como um dos líderes do esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propinas que atuava na estatal do petróleo. Preso na capital paranaense desde março, Youssef também negocia um acordo de delação premiada.
Apesar de ter admitido o pagamento de suborno a executivos da Petrobras, Erton Medeiros Fonseca negou no depoimento desta segunda-feira que tenha participado da formação de um cartel com outras empresas do setor de infraestrutura, relatou seu advogado.
A Polícia Federal começou a ouvir os depoimentos dos presos na sétima fase da Operação Lava Jato no último sábado (15). Segundo a assessoria da corporação, e a expectativa é que esta fase da investigação seja concluída ainda nesta terça, dia em que se encerra a prisão temporária de 17 suspeitos. Conforme advogados que estiveram na Superintedência da PF em Curitiba, ao menos cinco presos devem prestar depoimentos ao longo do dia.
Lava Jato
A operação investiga um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões e provocou desvio de recursos da Petrobras, segundo investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Na primeira fase da operação, deflagrada em março deste ano, foram presos, entre outras pessoas, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.
A nova fase da operação policial teve como foco executivos e funcionários de nove grandes empreiteiras que mantêm contratos com a Petrobras que somam R$ 59 bilhões. Parte desses contratos está sob investigação da Receita Federal, do MPF e da Polícia Federal. Ao todo, foram expedidos, nesta sétima etapa, 85 mandados em municípios do Paraná, de Minas Gerais, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Pernambuco e do Distrito Federal.
Conforme balanço divulgado pela PF, além das 23 prisões, foram cumpridos 49 mandados de busca e apreensão. Também foram expedidos nove mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a ir à polícia prestar depoimento), mas os policiais conseguiram cumprir seis.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Mais de 8 mil candidatos faltam à primeira prova da Uepa

17/11/2014 11h41 - Atualizado em 17/11/2014 11h52


Faltosos estão automaticamente eliminados do processo seletivo.
Candidatos realizam segunda etapa de provas nesta segunda, 17.

Do G1 PA
Mais de oito mil candidatos não fizeram as provas da primeira etapa dos processos seletivos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) no último domingo (16). (Foto: Divulgação/UEPA)Mais de oito mil candidatos não fizeram as provas da primeira etapa dos processos seletivos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) no último domingo (16). (Foto: Divulgação/UEPA)
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) registrou 8.227 candidatos faltosos do total de 74.537 inscritos para a primeira fase do Programa de Ingresso Seriado (Prise) e do Processo Seletivo (Prosel), ocorrida no último domingo (16), em Belém e nos campi do interior. A instituição informa que os candidatos que faltaram à primeira etapa não poderão fazer as provas da segunda etapa, aplicadas nesta segunda-feira (17), estando eliminados do processo.
Na segunda fase, realizada nesta segunda, os candidatos responderão a 60 questões objetivas, incluindo língua estrangeira, referentes ao conteúdo programático do segundo ano do ensino médio. Nesta ocasião, permanecem na disputa os candidatos do Prosel, com exceção dos faltosos, e mais os 14.562 inscritos apenas na segunda etapa do Prise. A terceira prova ocorre no dia 7 de dezembro e é composta, também, por uma redação.
Os candidatos disputam 2.916 vagas, distribuídas igualmente entre as duas modalidades de seleção, em 22 cursos de graduação. Este é o primeiro ano em que a Uepa destinará 30% do total de vagas a alunos oriundos da rede pública de ensino ou bolsistas integrais em instituições particulares, localizadas no Pará, por meio de sistema de cotas sociais.